Liberdade de coração

Todos temos dilemas na alma e no coração, todos sonhamos, desejamos e pensamos neste amanhã desconhecido, neste futuro que é uma incógnita para cada um de nós.
Mas existe um dia em que acordamos e paramos de pensar, de desejar, e de sonhar.
Queremos a realidade, queremos tudo a que temos direito, mesmo que não seja nada do que um dia sonhamos.
Eu sonhava ser bailarina quando era pequena.Tinha uma caixinha de música que quando tocava saía uma bonita bailarina que me fascinava como num conto de fadas. Fascinavam-me aqueles passos leves e sublimes, apaixonava-me pela saia de mil cores, o bonito penteado, o batom nos lábios e a pele branca e bonita que resplandecia em luminosidade.
Depois fui crescendo e os sonhos passaram a ser outros, queria tirar o curso de arquitectura que não consegui, pois na altura apareceu-me um emprego, e entre um emprego e tirar um curso e ficar sem colocação tive de fazer uma escolha.
Queria ter a minha casa,  que até hoje também ainda não foi possível por tantos motivos e tão poucos.
Confesso que,  existiu uma altura na minha vida que até  fiz planos para casar, sim casar de véu e grinalda. Cheguei a ver-me entrar pela igreja, de lágrima no olho é claro, sou uma lamechas em tudo o que toca o coração( descobri á pouco tempo que tudo o que toca  verdadeiramente o coração faz chorar de alegria). Cheguei a ver-me de vestido cor de pérola arrendado na parte de cima  e os  ombros um bocadinho á mostra, saia comprida ,  simples mas um grande véu , na mão um  bouquet de orquideas ( a minha flor favorita). Ora bem,  continuando a minha historia,  entrava na igreja  e lá no fundo estaria o homem que eu haveria de fazer feliz, sim porque o casamento é fazer o outro feliz.
Mas pedi tantas coisas a Deus, até que me apercebi que Ele só dá o que de melhor for para  cada um de nós.
Hoje mais do que  pedir comecei a agradecer todos os dias.
Agradecer por ter roupa para vestir, um tecto onde morar,  comida na mesa  e principalmente por poder acordar todos os dias. Por poder ver o nascer do Sol ás vezes do quarto dos meus pais.
 Por poder sentir o Sol a aquecer a pele. Por sentar-me no quintal e  conseguir contar as estrelas de mil céus que já vi. Por poder ajudar pessoas em troca de um sorriso, uma palavra em troca de um abraço.
 Por dar sem nada em troca. Por receber tanto ou mais do que dou. Por me dar a conhecer.  Vivo cada segundo como se fosse o último e acima de tudo eu amo cada segundo como se fosse o último.Quem me conhece sabe que sou transparente em tudo , não escondo nada e dou-me por inteiro.
Resolvi todos os problemas que existiam dentro da minha cabeça... E todos os dilemas do meu coração. Perdoei tudo o que havia para perdoar e pedi desculpa por todos os erros que podia ter  cometido.
Eu não sei qual vai ser o meu futuro mas sei que os 39 anos  me trouxeram a serenidade que nunca tive, o poder de decisão que quero ,  e a calma para escolher o melhor caminho para mim.

Comentários

Miguel disse…
Realidade e sonhos são duas coisas que raramente se conjugam pacificamente e podem muitas vezes deixar-nos depressivos ou com aquela sensação de estarmos incompletos. Hoje no outono dos meus dias aprendi a sentir-me abençoado com o que consigo. Mas importante também é nunca deixar de sonhar pois sem isso a vida fica vazia. Li um dia a frase: vive como se morresses hoje. Sonha como se vivesses para sempre. Acho que é esse o segredo. Tudo de bom.

Mensagens populares deste blogue

Assinado : DEUS

Ás vezes não me reconheço