A febre da escrita


Hoje tenho um formigueiro estranho nos dedos que não me deixa sossegar, apetece-me escrever e escrever mas não sei o quê, só quero desafogar os meus pensamentos por aí.Mas escrever o quê?

Seja uma carta, mas não sei a quem a dirigir?

Um diário mas já não tenho idade para isso ou umas notas ou apontamentos enquanto falava ao telefone, mas escrever nem sei o quê, escrever um bonito poema mas não tenho jeito para poesia nem para palvras bonitas que todos possam ler.

Procuro desnudar a minha alma por escrito, ainda que ninguém leia; ou, o que é pior, que alguém acabe lendo o que não queria que as pessoas soubessem.

O simples acto de escrever ajuda-me muito a organizar o pensamento e a ver com mais clareza o que me rodeia.

Um papel e uma caneta fazem milagres, curam dores, consolidam sonhos, levam e trazem a esperança perdida e quanto mais milagres fazem ter um computador sempre á mão aberto no meu blog......eheh

As palavras têm poder. Ajudam a sair cá para fora mágoas e vivências passadas no dia a dia , é um libertar da mente e deixar marcado mais um dia que chegou ao fim e que deve ficar na história.

Agora vou contar carneirinhos que já nem sei o que estou para aqui a fazer, está a chegar o joão pestana ......noite descansada.

Comentários

DT disse…
boa noite anjo
beijos
Anónimo disse…
Escrever alivia a alma do stress do nosso dia a dia

Mensagens populares deste blogue

Assinado : DEUS

Ás vezes não me reconheço

Liberdade de coração